NOTA DA DIRETORIA DA APUB

0 views
Skip to first unread message

APUB SINDICATO

unread,
Aug 9, 2012, 1:51:19 PM8/9/12
to apu...@listas.ufba.br, noticias-da-a...@googlegroups.com
 
 
 
 

cabecalho Marcas apub proifes cut

 

NOTA DA DIRETORIA DA APUB 

A Diretoria da APUB Sindicato, movida pela responsabilidade da defesa dos interesses da categoria docente, da UFBA, UFRB e IFBA, que representa,  convocou e dirigiu, no dia 07/08/2012, na Faculdade de Arquitetura, a Assembleia Geral convocada com um só ponto de pauta: Encerramento da Greve. Submetida ao plenário, a pauta foi modificada para a seguinte: 1. Greve; 2. Avaliação do movimento; 3. Encaminhamentos.

Da parte da Diretoria, cientificamos os participantes da Assembleia sobre que o Governo anunciou o término das negociações, no que se refere à carreira e aos salários, desde que o PROIFES Federação, entidade à qual a APUB é filiada, assinou, no dia 03/08, o acordo que prevê 3 parcelas de correção salarial,  para março de 2013, março de 2004 e março de 2015.

Durante a greve a negociação com o Governo foi aberta, não somente com o Proifes, mas, simultanemente, com a Andes, Sinasef e Condsefe. As três últimas, no entanto, usaram da oportunidade das audiências, nos dia 13 e 24/7, exclusivamente para expressar sua rejeição à proposta do Governo e reafirmar, sem nada flexibilizar, suas pautas reivindicatórias iniciais. Perderam, portanto, a oportunidade de negociar e, agora, desejam a reabertura das negociações com o Governo.

Referendado por 74% dos participantes de uma consulta eletrônica que promoveu, na qual 5222 professores deram sua opinião favorável à assinatura do acordo do Proifes Federação com o Governo. Nela fica mantida a equiparação de remuneração entre professores da ativa e aposentados e todas as gratificações ficam incorporadas aos salários, são conquistas anteriores decorrentes de iniciativas do Proifes.

Os pontos polêmicos, ou questões novas, como a dos atuais titulares que deverão ser incorporados à nova carreira, deverão ser remetidos para a discussão em um Grupo de Trabalho, a ser instalado em setembro próximo, com 60 dias de prazo, prorrogáveis por mais 60, para concluir os trabalhos.

A inclusão da classe de Professor Titular na carreira, que dá direito aos Associados IV de chegarem ao último nível, é, sem dúvida, uma vitória muito importante, contida no acordo assinado, pois, qualquer professor, a partir do momento em que toma posse, já sabe que poderá chegar, por seus próprios méritos, ao último nível da carreira, sem outro concurso. As correções salariais, entre um mínimo de 25% e um máximo de 44%, com base no salário de julho de 2010, são também pontos considerados positivos no acordo assinado, já que cobrem a inflação a partir de julho de 2010 até março de 2015, à base de 5% ao ano. As tabelas salariais completas, para 2013, 2014, 2015 podem ser encontradas na página da APUB na internet: www.apub.org.br.

Filiada ao Proifes Federação, a APUB Sindicato indicou a seus associados a participação na consulta eletrônica por ele patrocinada, que aprovou a assinatura do acordo com o Governo e, além disso, a indicação do fim da greve. Coerente com tal posicionamento, a APUB, por sua Diretoria, cumpriu o dever de encaminhar a proposta de encerramento da greve, na Assembléia Geral de 07/08/12. Tal proposta, no entanto, foi rejeitada e a greve continua.

A Diretoria, que sempre tem se pautado pelo respeito à pluralidade do movimento docente, vive sob a permanente ameaça de elementos articulados com a Andes SN, que se orientam, desde o início do movimento, para a tentativa de golpe. Legalmente constituída e representativa da maioria dos associados, a Diretoria de nossa entidade que, no dia 06 de agosto completou 44 anos de criada, vem denunciar o comportamento estreito e partidarizado desse grupo que lançou à Assembleia Geral de 07/08 a proposta de destituição de nossa Diretoria, a ser deliberado na próxima assembleia.

Nenhum membro da Diretoria é denunciado por se envolver em atitudes ilícitas. Não há qualquer razão, a não ser de ordem política, para se desviar o foco da defesa de nossas justas reivindicações para a disputa pela direção da entidade, nesse momento.

Desviar as atenções do movimento, para o golpe contra a Diretoria, nos parece uma tentativa de esconder a incompetência de quem não soube negociar, isto é, a Andes, que se encontra temerosa de que o Proifes venha a capitalizar as possíveis conquistas salariais incluídas no acordo assinado com o Governo.

Anunciamos que, contra a descabida tentativa de golpe, anunciada contra a Diretoria da APUB Sindicato, passamos a denunciar, local e nacionalmente tal atitude desesperada e inoportuna, e estamos tomando todas as medidas políticas e jurídicas capazes de impedi-la.

Por fim, solicitamos aos associados que a refutem, porquanto é absolutamente incompatível com a história de lutas em defesa da categoria e da educação pública da nossa APUB.

Diretoria da Apub Sindicato


 

 

 

 
 
 
 
 
 
 

cabecalho%20Marcas%20apub%20proifes%20cut[4].jpg

APUB SINDICATO

unread,
Aug 19, 2012, 5:01:12 PM8/19/12
to apu...@listas.ufba.br, noticias-da-a...@googlegroups.com

cabecalho Marcas apub proifes cut

 


NOTA DA DIRETORIA DA APUB 

A APUB Sindicato, firme na sua trajetória  e firme nas suas responsabilidades, não cederá um passo na sua obrigação de representar os professores que nos elegeram para  um período de dois anos a se esgotar em 13 de dezembro próximo.  Não estamos mais diante de uma luta sindical, porque esta se resolve sempre com a eleição de uma nova diretoria. Estamos diante do assédio moral de um grupo de professores arregimentados por partidos políticos marginais com o intento de destituir a diretoria da APUB. Um grupo que não se sabe ao certo quantos são os professores realmente. Este controle nunca existiu. Eles nunca deixaram que fosse feito. A pretensa destituição da APUB, encenada na semana passada é somente uma disfunção social do grupelho golpista que a perpetrou. Somente uma assembleia convocada pela diretoria ou por 10% dos associados, em lista assinada e entregue 48h. antes à diretoria,  pode destituir a diretoria do sindicato. Nenhuma das duas coisas aconteceu. E como se isto fosse pouco ainda colocaram na suposta comissão provisória alguns professores não filiados ao sindicato. Alguém que não é filiado a um sindicato pode estar na sua direção? Estão blefando.

 

Consultado, o prof. Celso Castro, Diretor da Faculdade de Direito, foi peremptório na afirmação de que é vã qualquer tentativa de destituição da atual diretoria da APUB. Não teriam como fazê-lo. Mesmo os 5% do nosso Estatuto é demasiadamente inconsistente, tomando em conta a relação entre o percentual que elegeu a atual diretoria e os 5% da destituição. Pelo visto, muita água ainda vai passar por debaixo da ponte, antes que a aventura autoritária e golpista se consuma no nosso sindicato. Para que isto não ocorra, tomaremos todas as medidas necessárias ao nosso alcance. É preciso defender um mandato que vem cumprindo rigorosamente o programa pelo qual foi eleito. De que nos acusam? De ter negociado com o patrão. Mas esta é a tarefa principal de um sindicato. Negociar é ceder de ambos os lados e concluir no final com propostas diferentes das iniciais. A ANDES não fez isto  porque é um partido político, é uma trama dentro do movimento docente e não um sindicato nacional como se pretende. Não apresentou proposta porque não conseguiu sistematizar nada para entregar ao governo, dentro do prazo estabelecido. Agora corre atrás do prejuízo, querendo reabrir negociações já encerradas. As universidades já começaram a sair da greve por conta própria, porque não há uma direção sindical que organize esta saída. Discurso ideológico, estranho ao meio, não organiza nada.   Os andinos precisam vir a publico dizer o que fazem com o dinheiro dos associados, além de xingar o governo e perseguir os “inimigos”.

 


Professores da UnB decidem por fim da greve em Assembleia 

Por Samara Neres

 

A greve dos professores da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) chegou ao fim na tarde desta sexta-feira (17) após Assembleia Extraordinária com os docentes. Com 130 votos favoráveis e 115 contra e, ainda, três abstenções a greve, que se iniciou em 21 de maio, chegou ao fim. O presidente da Associação, Rafael Morgado, informou que a partir desta segunda-feira, 20, as aulas voltarão normalmente. Com 142 votos favoráveis, os professores também decidiram manter a eleição para reitor prevista para quarta e quinta-feira da próxima semana.

 

Inicialmente, a assembleia deveria discutir a proposta da Comissão Organizadora da Consulta (COC) de se levar ao Conselho Universitário (Consuni) um pedido de adiamento das eleições, marcadas para a próxima semana, mas houve pedido de inclusão na pauta do final da greve, que acabou sendo aprovada. Em relação ao calendário de reposição de aulas, a Associação diz que cabe ao Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (Cape) juntamente com a reitoria deliberarem pelas datas finais.

 

Rafael Morgado explica que tudo que foi tratado na assembleia foi original e nenhum encaminhamento foi tomado sem consentimento da base . ” A direção da ADUnB estava há um mês sem se posicionar em relação ao assunto. Estávamos indiferentes. Portanto, esta aprovação foi uma decisão soberana”, disse. Fonte: www.adunb.org.br

 


Para sindicato de docentes de única federal que não parou, sociedade está “cansada de tanta greve” Edit

A UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) foi, das 59 federais, a única que não entrou no movimento nacional de greve que completa nesta sexta-feira (17) três meses. Mas, o que levou os professores da instituição a não participar da paralisação? Leia mais…

 



 

 

 

 
 
 
 
 
 
 



cabecalho%20Marcas%20apub%20proifes%20cut[4].jpg
Reply all
Reply to author
Forward
0 new messages