Edublogs x Blogs Pedagógicos

11 visualizações
Pular para a primeira mensagem não lida

Fabiola Maciel

não lida,
8 de set. de 2009 09:01:1808/09/2009
para Blogs Educativos, edublo...@googlegroups.com
All,
 
O conceito de Blogs Pedagógicos e Edublogs é o mesmo?

Fabíola Maciel
Professora Coordenadora LEM (Inglês)
Oficina Pedagógica - DER Jacareí
012 3962 2729


Veja quais são os assuntos do momento no Yahoo! + Buscados: Top 10 - Celebridades - Música - Esportes

Suzana Gutierrez

não lida,
8 de set. de 2009 10:28:1408/09/2009
para edublo...@googlegroups.com
Oi pessoal

Estes são conceitos que eu penso que teríamos de debater. Pois, o blog, no meu entender, não é nem educacional, nem educativo e nem pedagógico.  As  práticas (ações) das quais ele pode ser suporte é que poderiam ser chamadas de educativas, pedagógicas etc.

Chamar um blog no qual acontecem práticas educativas de Edublog é aceitável, mas penso que tem de estar claro o que realmente é edu na coisa toda.

Por outro lado, quase tudo é educativo de uma certa forma, pois, mesmo as coisas, os objetos, os ambientes, por si só, de uma certa forma educam algumas coisas. Um exemplo: a forma como disponho os móveis na minha cozinha, determina trajetos (e temporalidades) para as atividades e acabam por 'educar' modos de agir.

Então, neste último sentido, qualquer blog (site, wiki, grupo, ...) é educativo.

Para mim, o blog é educativo no sentido em que seu formato educa certas ações, motiva procedimentos, limita ... Entendendo educação de forma bem geral. E, também, penso que ele não é educativo se pensarmos em educação no sentido de ensino-aprendizagem (formal ou não formal).

Pensando :) ...

abraços!



Fabiola Maciel escreveu:

Fabiola Maciel

não lida,
8 de set. de 2009 10:35:0508/09/2009
para edublo...@googlegroups.com, Blogs Educativos

Na matéria da revista a rede Sala de aula reinventada há a seguinte definição de edublog:

 
"São blogs que possuem como Objetivo principal: apoiar o processo de ensino-aprendizagem em um contexto educativo."
 
 
Já no artigo de Maria João Gomes - "Blogs: um recurso e um estratégia pedagógica" - define claramente a utilização do blog como um suporte seguindo duas vertentes: recurso pedagógico e estratégia pedagógica
 
Dentro da vertente estratégia pedagógica encaixa-se os edublogs, pois, possibilitam a operacionalização dos blogs dentro de contextos escolares.
 
Só não entendo o porquê de utilizar duas nomenclaturas: edublogs e blogs pedagógicos

Para mim o que distingue é o contexto de utilização e o porquê da utilização.

 
Fabíola Maciel
Professora Coordenadora LEM (Inglês)
Oficina Pedagógica - DER Jacareí
012 3962 2729


--- Em ter, 8/9/09, Suzana Gutierrez <ssg...@gmail.com> escreveu:

Suzana Gutierrez

não lida,
8 de set. de 2009 11:18:5608/09/2009
para edublo...@googlegroups.com
Não há um nome só para falar de blogs em contexto educacional.

Blogs Educativos
Blogs pedagógicos
Edublogs (este derivado do ingles, que é igual)
Blogs educacionais
....

Chamar de Edublog um blog sobre ou que apoia educação é uma forma de nomear, distinguir.

Complica qdo as pessoas começam a confundir o suporte com a relação.
Não concordo com a definição (a primeira). Um Edublog pode ser um blog SOBRE educação e não apoiar nenhum procedimento\prática de ensino aprendizagem.  (não deixará de ser 'educativo',)

Já a Maria João define a "utilização como suporte" e não o blog. Ela define a prática \ a ação e não o "aplicativo" em si.

Na realidade, o que vem primeiro em educação são os objetivos\conteúdos. O que vamos fazer e usar para realizar os objetivos podem variar muito e, até, incliuir o blog.

Porém, o que se tem visto é as pessoas decidirem usar o blog, o wiki, o slideshare, o twitter antes de existir um planejamento, com objetivos, conteúdos. Ou seja, o plano é feito PARA o blog (ou outra tecnologia) e não para a aprendizagem.

Penso que é  a mesma confusão que acontece na definição\nomeação de "redes sociais". Orkut não é uma rede social. Orkut é uma tecnologia que pode apoiar a formação de redes sociais.

abraço!

Suzana
http://www.gutierrez.pro.br/



Fabiola Maciel escreveu:

Fabiola Maciel

não lida,
8 de set. de 2009 15:49:5908/09/2009
para edublo...@googlegroups.com
 
A definição de Edublogs saiu na reportagem que você e o Sérgio Lima participaram.

Suzana Gutierrez

não lida,
8 de set. de 2009 16:10:4108/09/2009
para edublo...@googlegroups.com
Sei disso

Aliás, eu ia publicar a íntegra do que falei na reportagem, pois frisei bastante este pensamento de 'cuidar com a confusão'  em relação às redes sociais e a coisa saiu invertida lá.

Vou achar aqui e mando na lista :)


abços



Fabiola Maciel escreveu:

Suzana Gutierrez

não lida,
8 de set. de 2009 16:30:0308/09/2009
para edublo...@googlegroups.com
Vou colar aqui as perguntas da Conexão professor e as respostas que dei. Eu ia publicar o texto todo, pois saiu apenas uma parte. Acabei esquecendo.  Mas ainda está em tempo.  No texto falo mais sobre redes sociais. Observa o bilhete em vermelho que mandei no arquivo.

 Depois vou olhar melhor a matéria lá no site do Conexão.  não achei a definição de edublog lá.

-------------------

1 – Qual o papel das novas tecnologias na Educação? Como os professores devem se preparar lidar com elas?

A tecnologia sempre teve um papel importante no contexto social, pois, ao mesmo tempo em que é produto da sociedade, ela também é construtora desta mesma sociedade. A escola, como instituição social, se insere neste contexto e, ao mesmo tempo em que é fruto da prática social, pode ser transformadora desta mesma prática. Assim, o papel que a tecnologia desempenha e vai desempenhar vai depender destas nossas escolhas e construções como sujeitos históricos.

Neste momento e tendo como referência as tecnologias da informação e da comunicação e a educação, pode-se afirmar que elas exercem uma tensão importante nas formas como se aprende-ensina, tensão esta que abre possibilidades de romper com as estruturas educacionais e com a organização da escola.

Porém, a mesma tecnologia que pode propor espaços de transformação é a mesma que reafirma o pensamento hegemônico da sociedade capitalista, que tende a explorar o trabalho. Assim, a tecnologia que poderia aumentar o nosso tempo livre, não raro é usada para nos aumentar o tempo de trabalho ou degradar as condições de trabalho. Um exemplo pode ser encontrado em algumas iniciativas do uso de educação a distância (EAD), nas quais professores são contratados para funções e atividades normais de professores, porém são chamados tutores e trabalham sob contratos temporários, sem plano de carreira, sem direitos trabalhistas.

Neste tema, também, não podemos esquecer que existem escolas e sistemas educacionais nos quais as tecnologias, que estão definindo modos de ser e fazer, ainda são tecnologias que entendemos como dadas e universais: energia elétrica, instalações hidráulicas e sanitárias, espaço e material para artes e educação física.

2 - Você acredita que as redes sociais da Internet possam ser trabalhadas em sala de aula? De que forma elas podem ser aplicadas no dia-a-dia da Educação?

Uma rede social é uma rede de relações sociais e elas já são parte da escola de inúmeras maneiras desde que a escola existe.

Se a pergunta se refere à redes sociais online, devemos considerar os diversos suportes que estas redes poderão usar. Existem redes sociais formadas em sites de redes sociais (SRS), como o Orkut, Facebook e outros. Existem redes sociais online com suporte em blogs, wikis . Existem redes sociais apoiadas por sites de grupos de discussão e forum, sites de troca de arquivos, sites de compartilhamento de música, vídeo, imagens etc..

No meu entender, as redes sociais que podem se formar nestes e em outros suportes podem ser usadas no cotidiano da educação. Seja pela dimensão comunicativa destes suportes, seja pela pré adesão dos alunos que, em grande parte, já estão lá.

Todavia, estes suportes apresentam vantagens e desvantagens no apoio de uma rede social que será usada com objetivos educacionais. Estes limites e possibilidades devem ser considerados em relação a proposta e aos objetivos educacionais. Assim, o que vem primeiro é o projeto educacional.

Por exemplo, se o objetivo for o contato e a realização de atividades colaborativas, o suporte wiki para a rede social é mais adequado que uma comunidade no Orkut.

3 - Qual a importância hoje das redes sociais no universo jovem? Que benefícios elas podem trazer para o desenvolvimento de crianças e adolescentes? Quais os perigos?

Vou responder considerando redes sociais online. Redes sociais são redes de relações sociais e as redes sociais online em muito repetem as configurações das redes sociais que interligam os jovens no contexto offline. Estas interações que se produzem on e offline são o fundamento da sociabilização do jovem, são grande parte do conteúdo do seu cotidiano. É nestas redes de relações que o adolescente engendra sua identidade e aprende.

As redes sociais online, pelos suportes, em geral, públicos, trazem para este contexto uma série de possibilidades, desafios e, até, perigos. Um benefício é a possibilidade de comunicação para aquelas crianças e jovens que têm dificuldades de exercer esta sociabilidade presencialmente, seja por características físicas, seja por características psicológicas. Para os demais, a comunicação em redes sociais online aumenta as possibilidades de interação e abre canais diferentes de interação, seja pela possibilidade do texto escrito, seja pelo uso de outras mídias.

Para todos, as redes sociais online tendem a expandir o número de contatos e a auxiliar na manutenção de todos os contatos.

A lista dos perigos ao mesmo tempo que tende a se ampliar é relativa. Ela é proporcional ao cuidado e a participação dos pais, professores e outros adultos que possam orientar os jovens em mais esta dimensão de sua sociabilidade. Nesta zona de cuidados está a constatação de que a rede pública é ampla e não se pode determinar com certeza quem é aquele outro que ali interage. A interação online é muito absorvente e pode ocupar o espaço de outros tipos de relacionamento social importantes para os jovens, como, por exemplo, as atividades esportivas e de lazer.

4 – Como os weblogs podem ser utilizados na Educação?

A meu ver, os weblogs terão cada vez maior importância, especialmente na comunicação e na educação. Atualmente, o formato weblog, vem sendo usado em diversos tipos de publicação, entre elas, encontram-se páginas pessoais, páginas temáticas, diários de pesquisa, ambiente colaborativo, clipping jornalístico, etc.

De sua origem como suporte de expressão unicamente individual, tornou-se uma forma de publicação em co-autoria. O contínuo fluxo de informação entre blogueiros tende a formar redes sociais interlinkadas que são altamente comunicativas, a polifonia e a intertextualidade amplificando o alcance da rede.

Por todas estas razões, os weblogs vêm sendo cada vez mais usados como ambientes de construção colaborativa\cooperativa do conhecimento e, principalmente, como ambientes pessoais\personalizados de aprendizagem. Neles, o blogueiro agrega recursos e ferramentas, estabelece a sua presença online e a ligação com outros blogs, promovendo o uso social da informação e do conhecimento, construindo redes sociais.

Penso que os weblogs, usados em projetos educacionais, podem potencializar a autoria e a autonomia, pelo exercício da expressão criadora escrita, artística, hipertextual e multimídia. Pela sua própria estrutura, que inclui arquivos, comentários, links de retorno etc., são dialógicos e possibilitam o retorno à própria produção, a reflexão crítica, a re-interpretação de conceitos e práticas. Permitem, assim, que professores e alunos consolidem novos papéis num processo onde todos ensinam e aprendem.

O blog pode registrar de forma dinâmica todo o processo de construção do conhecimento e abrir espaço para a pesquisa, dando visibilidade, alternativas interativas e suporte a projetos que envolvam a escola como um todo e, até, as famílias e a comunidade.


5 - O que podemos esperar em termos de redes sociais para o futuro? Quais são as principais tendências?

Vou falar sobre as redes sociais online. Com o desenvolvimento da web, que é cada vez mais interativa e social, penso que passaremos por um período em que surgirão diariamente novas alternativas de suporte para as redes sociais. E estas alternativas terão características diferentes segundo o ponto de interesse (música, comunicação, vídeos, jogos, …) que procurarem atender. Algumas vão desaparecer em pouco tempo, outras se transformarão, outras, ainda, vão compor novas alternativas híbridas. Algumas se consolidarão e farão história, como os blogs.

Por outro lado, as apropriações que serão feitas individual e coletivamente sobre estas tecnologias vão gerar configurações de rede que podem transgredir os objetivos iniciais dos desenvolvedores. Um exemplo, no meu entender, é o Twitter, que nasceu sob o mote “o que eu estou fazendo” e, atualmente, expressa muito mais “o que está acontecendo”.

Outro movimento é a tendência crescente de convergência de todas estas tecnologias com as tecnologias móveis e sem-fio e, também, a tendência de uma cada vez maior pervasividade.

Crescerá, também, a preocupação com a privacidade nas redes sociais em suportes públicos, numa tendência de reservar informações e de criação de sub redes de contatos com mais ou menos acesso às informações pessoais.

Penso que as redes sociais serão cada vez mais inseparáveis em suas dimensões off – on line e o acesso perderá aquela conotação de “entrar na internet”, pois em e na rede sempre estaremos.

Em relação à educação e à escola, penso que as redes sociais (nas suas dimensões inseparáveis on e offline) serão responsáveis por grandes transformações nas formas como se ensina-aprende. Porém, estas transformações tendem a ser lentas enquanto a estrutura maior que rege a educação não for transformada. Por exemplo: o vestibular é uma estrutura que impede algumas possíveis transformações.


(estas são algumas idéias; podemos conversar sobre elas. Acho importante para a matéria conceituar e diferenciar redes sociais \ redes sociais online \ suporte de redes sociais. Por exemplo: o Orkut não é uma rede social. É um site que disponibiliza recursos e ferramentas que podem ser suporte para uma rede social.

Meu mini currículo:

Sou professora de educação física e engenheira civil, mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS – http://www.ufrgs.br), leciono no Colégio Militar de Porto Alegre (http://www.cmpa.tche.br/) e faço doutorado em Educação na UFRGS. Sou pesquisadora do TRAMSE (Núcleo de Pesquisa sobre trabalho, movimentos sociais e educação) da UFRGS, no qual pesquiso sobre a inserção das tecnologias da informação e da comunicação na educação. Tenho um blog pessoal desde 2002, quando os blogs fizeram parte dos meus estudos no mestrado. Nele reflito sobre o meu cotidiano de professora e pesquisadora. (gutierrez/su - http://www.gutierrez.pro.br/)



(a foto vai em anexo no email)







Responder a todos
Responder ao autor
Encaminhar
0 nova mensagem