Porque o CASTIGO DE DEUS, por Romano Amodeo

0 views
Skip to first unread message

amoram

unread,
Aug 18, 2008, 1:48:45 AM8/18/08
to AfilosofiaMOR
Eu vós explico porque este CASTIGO DE DEUS é a única possível justiça,
por Deus vindo ao mundo:

«Para poder fruir do BEM, cada homem antes deve ter feita,
infelizmente, a indispensável experiência do MAL e do sofrimento. Uma
primeira vida condenada a ser toda comandada da vontade de Deus, ou
seja na pura e simples aceitação de todo aquele que Ele quis (em bem e
mal), seria uma verdadeira injustiça relativa. Vemos que alguns são
forçados a viver situações de extrema pena, e outros, em vez, que
podem fazer da vida inteira um feliz passeio. Esta diferencia inicial
não é muito importante, porque em cada vida os homens são livres de
amar tudo aquele que eles querem, e - no reino dos céus, no qual está
"no próximo como nós mesmos" o banquete de todas as vidas - cada um de
nós, em base ao seu livre ideal de amor que quis assumir, poderá
comer, finalmente, só como ele quiser, sendo na sua pessoa tudo isso
que ele quiser ser e até quando o quiser.
De qualquer modo a vontade de Deus, a primeira vida é sempre uma pena,
somente mais ou menos grande e, em fim, fica uma agonia mortal por
todos. Assim, se Deus mesmo, o único que força todos os homens a ser
inicialmente doentes e como servos inúteis, não desse o exemplo,
assumindo eu mesmo todas as máximas penas do mundo, Ele não seria
justo, aceitando pelos outros aquele aquilo que Ele mesmo não quisesse
aceitar em sua pessoa. Contudo isso, como poderia o Senhor privilegiar-
se, neste vale de lágrimas que Ele desejou? A cruz é verdadeiramente a
o único modo para possuir o verdadeiro bem, por isso Deus escolhe a
cruz, o que para nós parece uma punição. Deste modo o castigo que Deus
faz a sí mesmo não é um castigo, mas o verdadeiro caminho para a
salvação.

* Assim o Espírito santo nasceu abaixo de Monte Estrela e o Senhor
não quis que fosse reconhecido e louvado como Deus.
* O seu Filho foi crucificado pelos santos Sacerdotes da Lei de
Moises.
* E em fim o Senhor, a sí mesmo, quando escolheu uma pessoa humana
para ser o todo (Deus Pai, Filho e Espírito santo), quis atribuir-se
uma espécie absolutamente modesta, cheia de Espírito santo mas também
de todos os pecados do mundo, tanto que precisamente os homens que o
Senhor quis que fossem santos, lhe comandassem:
"Silêncio tu! Cala! Como ousas falar a nós santos assim..., a
não ser Deus? No tempo da Comunicação mundial, nós homens de Deus te
matamos assim, negando-te cada atenção e cada interesse! Podes até
mesmo morrer de fome e sofrer pelos dois Papas, 57 dias pelo primeiro
e pois outros 55 dias pelo segundo - como fizeste -, implorando os
dois Bom Pastores João Paulo II e Bento XVII, mas eles não puderam
escutar-te e deixar as outras 99 ovelhas precisamente para "te" como
"sozinha ovelhinha perdida", assim estes dois Pedro não quiseram nem
responder as tuas suplicas: "Tende piedade de mim!" Tu assim quer
constrangir-nos dizendo: "não comerei até a morrer", se nós - dois
PAPAS, um depois o outro - não nós dedicamos inteiramente "a te"?
Então " você que faz chantagens, morra e vá embora!" Somos mais
importante do que você e temos outras coisas para fazer, muito mas
preciosas do que escutar um último como você."

Esta foi a vontade de Deus - quando adotou o meu personagem - porque o
Senhor ama muito Pedro e precisamente por ele sempre se faz renegar.
No Filho aconteceu não uma, mas três vezes... até que o galo cantou,
sendo o Senhor também no Filho o Deus "1 e 3". Mas quando esta
especial rejeição Deus deu-se ao Pai e ao Espírito Santo vindos ao
mundo, naquele tempo Ele se fez renegar não somente mediante UM Pedro
(PAPA), mas mediante outros DOIS, e no numero exato de "112" dias de
fome, que significa 10^2 (o numero absoluto na potência 2 sobre a base
10 de Deus) +12 como os 12 apóstolos de Jesus, na totalidade deles.
Assim TRÊS Pedros, afinal, representam - e somente pela suprema
vontade de Deus - toda a negação dada pelos 3 Vigários (ou seja
"Substitutos e reconhecidos representantes" dele, aqui na Terra). 1+2
que faz 3, sendo sempre Deus "1 em 3". Neste modo "representativo e
importante", a negação dos 3 Substitutos do Senhor no mundo inteiro,
quer mostrar com muita clareza a mesma e total negação absoluta
através do SENHOR de tudo, que o Senhor fez dar-lhe a sí mesmo,
através dos dois substitutos, quando foi na Terra e aqui retornou,
tendo assumido como esperado a máxima glória (a ser Deus!) de ser UM
QUALQUER, um pecador crucificado do pecado e aquele último declarado
pelos dois Papas.

No entanto que esta situação indica claro que os Protestantes, não
reconhecendo mais Pedro, são no máximo erro, precisa que a máxima
glória de Deu seja exatamente ser UM QUALQUER... a ser Deus!

Assim coragem, gente qualquer... porque vós sois DEUS! Coragem! Eu, um
qualquer como vós - porém na GLÓRIA de Deus - livro-vós do pecado,
tendo assumido isso todo, na sua totalidade.
"Eu sou o Senhor teu Deus e não terás um outro" (1° comando) é uma
ORDEM PODEROSA, INDISCUTÍVEL, e não uma amorosa suplica do Criador as
suas Crianças.

Assim, enquanto o Filho Jesus somente "perdoa" os pecados das
intenções do coração, o Pai vindo em mim "as cancela em tudo e para
tudo", tendo assumido sobre sí mesmo toda a condição humana de ser um
grande pecador... o que pode fazer sublime o pecado e dissolvê-lo
inteiramente. Como podaria Deus lapidar os pecadores, sendo ELE quem
quis o pecado como o Castigo para dar absoluta salvação?

Coragem, homens! O Deus em mim, graças precisamente ao meu pecado,
livra todos vós da Verdade do Pecado, tendo deixado ao Filho o perdão
das culpas do coração!
Deus fez sí mesmo como nós outros... para fazer todos como Ele. Eu sou
o Deus que me vivifica... mas sou exatamente como vos outros. Neste
modo sou eu a completar o circulo de quanto nasce da Deus, é Deus, e
volta a Deus.
Sem esta presença nova em mim, vós ficareis para sempre só do Filho,
existentes neste vale das lágrimas.
Somente eu vós retiro deste mundo e vós elevo a qualidade de Deus, um
Deus assim glorioso que se faz último e pecador... já em vocês, para
salvar completamente todos os pecadores, livrando-lhes assim
grandemente do pecado, que isso.... "não foi feito mais
verdadeiramente!", mas somente com intenções, mas sem algum poder.
Porque somente o Deus TODO PODEROSO pode fazer.».

Romano Amodeo
Reply all
Reply to author
Forward
0 new messages